186836706416119
Kit Novembro/2020

Kit Novembro/2020

Postado em:
Blog - Kit do mês
- 01/11/2020 19:28:13

Olá, assinantes! Esperamos que todos estejam bem. Vamos aos queijos do mês!
 
Começamos pelo queijo mineiro Maranata Jovem. Henrique é filho de produtor rural e queijeiro dedicado. Já rodou por muitos lugares trabalhando com muitas coisas diferentes, até que resolveu largar tudo e voltar às origens e fazer o que ama: “mexer com pecuária leiteira e queijos”. Comprou seu próprio sítio, o Rancho Maranata, em Virginia (MG) e começou a mexer com leite em abril de 2019. Fez cursos e está desenvolvendo algumas receitas inspiradas em queijos europeus, mas com toques autorais. 
Outro representante mineiro é o Raclette Mineiro. O suíço Dieter Müller e sua esposa, a brasileira Soraya, se encontraram naquelas bandas europeias. Por lá aprenderam a produção dos queijos suíços e toparam o desafio de desenvolver aqui em terras brasileiras o famoso queijo do cantão de Valais (Suíça) dos Alpes. Foram direto para Almenara, pequena cidade no Vale do Jequitinhonha, quase na Bahia, e lá construíram a queijaria e o sonho de viver do queijo.
Descendo no mapa, mais dois queijos da nossa querida Elisabeth Schober, da “Queijo com Sotaque”, em Santa Catarina. Os escolhidos foram o Ribeirão e o Cambirela. Queijeira francesa com larga experiência em seu país, ela se apaixonou pelo Brasil e aqui resolveu fincar raízes. Abriu a queijaria em 2013 para produzir receitas inspiradas nos queijos franceses, porém com toque brasileiro.
Pulando para Goiás, chegamos em Guapó, na queijaria Serra do Bálsamo. João Vicente trabalha com leite há 10 anos e sempre sonhou com a produção queijeira. Em 2017 fez uma viagem à Portugal e conheceu a produção do famoso Serra da Estrela. Voltou encantado e começou a se preparar. Durante um ano, fez cursos, contratou um especialista e deu início à queijaria. Hoje são 6 tipos de queijos diferentes, todos maturados numa caverna construída especificamente para este fim. Nosso escolhido foi o Foguin.
Fechando o time, o Bem Brasil, da Queijaria Bela Fazenda. Carolina Vilhena é médica veterinária e filha de fazendeiro. Na infância sempre acompanhava o pai na lida com o gado de corte. Apaixonada pelo clima de fazenda, foi estudar sobre queijos para buscar uma outra relação com os animais. Fez cursos fora do país e começou a fazer seus testes na fazenda em 2017 e logo fundou sua queijaria. Ao longo desses anos a Queijaria Bela Fazenda já elaborou diversos queijos de inspiração europeia, mas sempre com o toque criativo da Carol. É uma importante representante do grupo das novas queijarias paulistas que têm surpreendido o universo do queijo artesanal com muita qualidade e criatividade em seus produtos.
 
MARANATA (MG) – Rancho Maranata, cidade de VirgíniaQueijo de leite cru de vaca. Maturação média de 40 dias. Casca firme amarelada, massa semi cozida e semi dura, untuosa, sal discreto e algumas notas florais. 
 
RACLETTE MINEIRO (MG)– Fazenda São Francisco, cidade de Almenara. Queijo de leite cru de vaca. Maturação de 2 meses. Casca firme amarelada, massa semi-macia com pequenas olhaduras. Sabor suave de fundo doce.

RIBEIRÃO (SC) – Queijaria Queijo com Sotaque, cidade de Paulo Lopes. Queijo de leite de vaca, com maturação média de 4 meses. Inspirado no Gruyère francês, tem a casca rugosa e massa cremosa, com possível fundo doce.
 
CAMBIRELA (SC) – Queijaria Queijo com Sotaque, cidade de Paulo Lopes. Queijo de leite de vaca, com maturação média de 2 meses. Inspirado no Tomme de Savoie. Casca firme acinzentada, massa semi dura de sabor complexo, notas amanteigadas.
 
FOGUIN (GO) – Queijo de leite cru de vaca e massa semi cozida. Maturação média de 40 dias em caverna com alta umidade e baixa temperatura. Casca flambada no Whisky. Massa semi cremosa, suave, com fundo picante.
 
BEM BRASIL (SP)– Queijaria Bela Fazenda, cidade de Bofete. Queijo de leite de vaca, massa macia e casca com mofos branco e azul. Inspirado no Saint Nectaire. Sabor suave, remetendo a iogurte. Bom contraste com a casca mais compelxa. 
 
Manter na geladeira (parte menos fria), envolto em filme plástico ou papel manteiga. Retirar da geladeira e da embalagem ao menos uma hora antes de degustar. Para manter a umidade, também é possível armazenar em potes plásticos. Importante abrir o pote a cada 2 dias para circulação do ar.
Esperamos que curtam a seleção. Boa degustação!

Categorias

Fique informado!

+ Posts

Kit Agosto/2021
Kit Agosto/2021
Kit Julho/2021
Kit Julho/2021
Kit Junho/2021
Kit Junho/2021
Kit Maio/2021
Kit Maio/2021
Kit Abril/2021
Kit Abril/2021

Receba novidades por email

E-mail cadastrado com sucesso.